A coluna Personagem do Mês apresenta quatro textos (um por semana) sobre uma personagem escolhida pela equipe do Séries Por Elas. Esses textos seguem a seguinte lógica:
1ª matéria: conta a trajetória da personagem e explica por que ela mereceu ser a personagem do mês
2ª matéria: mostra o que podemos aprender com a personagem e o que é melhor deixar pra lá
3ª matéria: buscamos inserir a personagem no contexto do blog, fazer link com empoderamento e feminismo
4ª matéria: vamos falar pouco da atriz. Curiosidades, declarações importantes e fofoquinhas saudáveis

Elisabeth Moss é o nome do talento por trás da Peggy de Mad Men e de várias outras grandes personagens empoderadas. A atriz nasceu em Los Angeles, filha de musicistas do jazz e adeptos da cientologia. Moss teve uma rotina inusual para as crianças da sua idade. Passou a infância frequentando igrejas, por conta da religião da família, e backstages de clubes e teatros, onde seus pais se apresentavam. Apesar de ter crescido nesse meio, a atriz já afirmou ser a religião uma questão da sua vida privada e poucas vezes abordou o tema publicamente.  Posteriormente, com o sonho de juventude de ser bailarina, Moss se mudou para Nova York para estudar na Escola Americana de Ballet. Mas foi deixando essa possibilidade de lado quando a atuação começou a surgir em sua vida e lhe garantindo oportunidades.

Seu primeiro papel para a televisão foi na minissérie da NBC Lucky, onde atuou ainda criança. Teve aparições em Picket Fences, Once Upon a Forest e um papel de maior destaque na premiada série The West Wing, onde interpretou uma das filhas do presidente. No cinema estrelou o sucesso Garota Interrompida. Finalmente, em 2007 foi escalada para encarnar a tímida secretária Peggy Olson em Mad Men, um dos papéis da sua vida, que lhe garantiu bastante visibilidade, três indicações ao Emmy e uma ao Globo de Ouro.

A partir daí a atriz adquiriu cada vez mais destaque. Em 2013, no intervalo de Mad Men, Moss protagonizou a elogiada série neozelandesa Top of the Lake em que interpreta uma detetive encarregada de investigar o desaparecimento de uma pré-adolescente grávida. Por esse papel ela levou o Globo de Ouro de melhor atriz em Mini-Série ou Telefilme. Atualmente a série está na sua segunda temporada e continua contando com Moss no elenco.

>>Leia também
Top of The Lake: cultura do estupro, opressão de gênero e a força feminina

 

O trabalho mais recente da atriz e também um dos mais aclamados até agora, foi em The Handsmaid’s Tale, série baseada no livro de 1985 “O Conto de Aia”, da escritora Margaret Atwood. Produzida e transmitida pelo serviço de streaming Hulu. A série se passa num futuro distópico em que os Estados Unidos, agora República de Gilead, encontra-se submetido a um sistema de governo totalitário e teocrático sob o qual as mulheres férteis, por estarem praticamente extintas, são obrigadas a procriar para famílias abastadas e poderosas.

Moss foi muito elogiada por sua atuação em The Handsmaid’s Tale, que também conta com as participações de Samira Wiley e Alexis Bledel. A série já é uma das grandes surpresas de 2017.  E como resultado desse sucesso Moss levou o Emmy de melhor atriz por sua atuação como Offred. A série também levou em outras categorias como Melhor Roteiro, Melhor Atriz Coadjuvante, sendo uma das grandes premiadas da noite.

 

Já não há dúvidas que ainda ouviremos muito o nome de Elisabeth Moss por aí. Especialmente depois da atriz dar vida a essas personagens tão fortes e que são importantes símbolos de empoderamento feminino.  Assim, só nos resta concluir que Elisabeth Moss está cada vez mais rica. Ela é poderosíssima!

Elisabeth Moss.